Por que alguns pacientes de dengue desenvolvem uma versão grave e outros, uma versão branda da doença? O pesquisador da FIOCRUZ Milton Ozório Moraes, convidado deste episódio do UAU!, pensa que a chave está nas pequenas diferenças do genoma das pessoas. Com as técnicas que hoje possibilitam fazer o mapeamento completo do genoma, os cientistas podem identificar as regiões que conferem maior suscetibilidade de desenvolver, por exemplo, a forma grave do dengue. O impacto da genética no diagnóstico e tratamento das mais variadas enfermidades vai crescer cada vez mais. Além deste assunto, Milton falará também sobre um programa de mestrado desenvolvido pela FIOCRUZ para alunos de Moçambique e sobre os principais desafios da ciência brasileira.

Categorias:

UAU!

Deixe uma resposta